segunda-feira, 3 de julho de 2017

Porque só as mães entenderão!

Oi querid@s!!

Bora lá para mais um pensamento novo....sqn...rsrsrs. E, acho que vai ser longo, afinal faz uma semana que estou tentando escrevê-lo.

Estava pensando muito na questão que circula blogs, vídeos do youtube e imagens em redes sociais, sobre romantizar e desromantizar a maternidade. E, já falei aqui sobre maternidade né!? Sim, algumas muitas vezes nos últimos 4 anos. Também já disse que amei (e amo) ser mãe, já contei que a Alice e a Laura são diferentes (demais), já falei dos "perrengues" que a maternidade trás, já falei que a vida muda a gente e a gente muda a vida depois que vira mãe, já disse que amei ser...ops, já disse... Bom, mas como sou mãe na maioria do tempo do meu dia, vou falar um pouco mais.

Vou falar de realidade ok; sem querer (des)romantizar nada; apenas realidade! E, minha realidade perpassa os dois extremos, acredito que, como na vida da maioria das mães. Tem dias que ser mãe é maravilhoso, mas outros nem tanto e, tem aqueles dias (poucos até) que eu gostaria de fazer uma mágica e sumir algumas horas (só umas horinhas!!).

Quando a gente vira mãe começa a entender, literalmente, o que é se anular. Todo nosso esforço vai em prol daquela coisinha pequenininha que está  (e por muito tempo estará) sob nossos cuidados. Pai "ajuda" (nem todos eu diria) mas, é diferente para os pais, sim! Porque ainda pensamos no pai que "ajuda" (tipo, a mãe teve o filho e o pai ajuda!) Que pensamento das cavernas né!? Mas, eu diria que é a maioria e, aqui não é muito diferente (e, que me perdoe o Diego se, ler essa constatação tão real). Fico louca quando me dão os parabéns ou me dizem que tenho sorte porque meu marido me ajuda. Sim, ele me ajuda e, isso não é surpreendente, pois ele APENAS, faz a função dele de pai. Então, eu não reforço essa situação de que as filhas são minhas. Mas, na atual situação de vida que nos encontramos, elas praticamente são totalmente minhas! E, são minhas 7 dias da semana, sem folga!!

Bom, mãe assume muitas coisas e é um esforço tão grande que parece que a gente, além de se anular, perde direitos. Você perde direito primeiro ao tempo. Deixamos de ter um tempo exclusivo e, pior, são as pessoas acharem que você não merece esse tempo, ou acharem que você "bateu a cabeça com força" por dizer que quer e precisa desse tempo. Nessa semana ficamos todos doentes por aqui, e, percebei que ficar doente também não é uma boa opção quando você tem um pai que "ajuda" e, não tem direito a folga (já que folga seria pedir muito para uma mãe). Minha mãe sempre dizia que mãe não pode ficar doente e, quando fica faz o maior esforço do mundo para ficar bem. Fato! Nesse momento mesmo, estou com uma gripe e dores fortes de garganta, sem poder reclamar, afinal perdi esse direito quando a Alice saiu no terceiro empurrão no parto!

Mãe não tem muito tempo para arrumações. Eu que sempre fui uma pessoa "básica", agora virei o básico do básico (pior que aquele uninho quadrado sem nada!). Essa sou eu! Um pouco por não ser muito vaidosa (desde sempre) e um pouco por achar que esse luxo vai me consumir tempo e dinheiro que posso usar com elas (sim, eu sei que estou errada!). Mas, vou à manicure a cada 15 dias, olha que luxo...rs. Minha terapeuta diz que sou tirana demais comigo mesma, eu prefiro continuar pensando que sou apenas básica; aceitar que virei mãe e, isso vai doer menos!! 

Mãe, quando não está trabalhando, está com criança. Nossa, como isso é real na minha vida!!! Apesar de ter pais que me auxiliam e por vezes as meninas dormem lá para eu poder sair e até trabalhar. É a mais pura verdade que, quando acabou o dia, você está sem energia, cansada, querendo descansar é claro, mas, tem criança pra cuidar. Aprendi a não desanimar e, me apegar nas partes boas do "mamãe" quando você chega, do beijo, do abraço, do utaaaa. É a sensação do "está ruim, mas está bom", sabe!? Pior é: a gente ter que se acostumar com isso. 

Ser mãe é um desgaste físico e emocional gigantesco. Acho que a gente já foi feita assim mesmo: para suportar. Eu duvido que meu marido e muitos pais que eu conheço suportariam da mesma forma algumas coisas pelas quais passamos e, eles nem percebem que passamos (as vezes nem perguntam!). Primeiro a notícia, depois os 9 meses e todas as particularidades que esse tempo nos oferece. Depois o pós parto....que nosinhora, que é aquilo? Ainda bem que a gente esquece e, as partes boas contribuem para esquecermos essa fase em nome de um bem maior....as experiências. Depois vem todos os cuidados e fases e cuidados e cuidados e mais cuidados....

E, sabe, as vezes a gente só precisa de cuidado especial também, mas acabamos nos esquecendo e, a sociedade na qual vivemos nos diz que não precisamos disso, afinal nós somos as cuidadoras. Passo a semana cuidando....cuidando da casa, da comida, da roupa, do mercado, das alergias, dos remédios, das agendas de cada uma e da minha (que fica em segundo plano), e sem esquecer da cachorra....dias e dias a fio cuidando.... É, é bem difícil ser mulher e mãe as vezes!!

Mas, tenho aprendido que o reconhecimento de tudo isso, vem de mim mesma. Sou uma mulher bem mais forte e imensamente mais capaz hoje. Capaz de abdicar, inclusive, de sonhos em prol de ser uma mãe que desejo para minhas filhas. Capaz de não reclamar e aceitar, pois escolhas são, escolhas. Capaz de ser superior a qualquer atitude e comentário machista e descuidado das pessoas. Capaz de ser muitas pessoas fortes em uma só! Capaz de ser mãe!!

Uma boa tarde com gripe, tosse e otite (uma coisa para cada uma de nós três)....para tod@s!! 
   

(Ps. Presente do Dia das Mães, que EU me dei!!)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...