quinta-feira, 28 de junho de 2018

Ser mulher: dor ou delícia?

De fato! Cada um conhece suas qualidades e defeitos, sabe mesmo as dores que deom mais e, as delícias que experimenta da vida.... No entanto, eu não acho que neste mundo ainda tão machista, em que as discussões de gênero andam a passos tão lentos, e que o exercício da empatia parece cada vez mais dificil, eu realmente não acho que os homens (em sua maioria) têm ideia da dor e da delícia que é ser uma mulher!!

Eu, enquanto mulher, assumo hoje alguns papéis que me fazem refletir e questionar muito essas "dores"e essas "delícias". Sou filha, sou irmã, sou amiga, sou professora, sou esposa e, também mãe de meninas. O que eu poderia falar e mostrar e elas, sobre esse universo feminino que pode ser doce, mas também extremamente amargo; como poderia explicar que é bom, mas dói? É bem complexo, mas hoje eu acho que tento perceber nas "dores", o que posso traduzir em delícias!!

Diariamente já enfrento alguns debates em casa, na família, no trabalho..... Sou amplamente questionadora com meu marido, meu pai, meus colegas de trabalho.... Tamvem, vivo numa casa cheia de mulheres e, que, o esposo/pai não pode ser um "ajudante". Na verdade não pode e não vai!! Estamos acostumadas a falar que esposos/pais ajudam e, nessa de serem "bons ajudantes", levam um mérito que nem é deles. Eu não quero que minhas filhas cresçam achando que o pai delas é um cara legal, porque ele ajuda a mãe. Não! Elas vão crescer sabendo que ele faz o que precisa fazer, assim como eu. Também precisam entender que eu me desdobro em mil (e, no geral as mulheres são assim), pois nós crescemos aprendendo e achando que deveríamos fazer TUDO. Então, se alguém, "ajuda" aqui, sou eu; o "cara legal" da casa, na verdade, sou eu!!!!

Isso é uma DELÍCIA.... saber que eu tenho competência para ser a "ajudante"! 

Ainda vejo e ouço muitas coisas que eu não concordo e, que as mulheres vivenciam quase sempre caladas. As falas machistas e preconceituosas são diárias. As piadas de mal gosto e, as comparações com as mulheres de "antes". As separações do que é de homem e do que é de mulher; coisas que homens podem fazer e coisas que mulheres não podem; coisas que viram obrigação delas e desobrigação deles. Eu não aceito e, eu geralmente não me calo!

E, isso também é uma DELÍCIA.... poder falar: "olha, não é bem assim".... 

Acho que eu (mas, não só eu, um monte de nós) tenho/temos tanta competência para fazer com enorme brilhantismo o que os homens fazem, já o contrário não sei se procede. Vejo muitos homens que não conseguem dar cobta de fazer a metade do que fazem suas mulheres. Acho que isso preciso mostrar às minhas filhas diariamente: que elas poderão ser o que quiserem, que poderão fazer o que quiserem independente do que todas as demais pessoas acharem e, independente dos homens....

Outra DELÍCIA (mas, que não é fácil) é criar filhas discutindo questões de gênero, ensinando que elas podem ser tão inteligentes, tão rápidas e tão espertas quanto qualquer amiguinho da escola....

Por um bom tempo aqui em casa, eu tive um salário maior que meu esposo, trabalhando menos horas, mas, isso no holerite só, pois as horas extras de trabalho doméstico e de cuidados maternos, não eram e, ainda não são contadas como "trabalho". Acabava que, no fim das contas, dava no mesmo, eu ganhava mais, mas também trabalhava muito mais. Hoje a situação é outra, a rotina é outra, a condição cotidiana minha e do meu esposo é outra (e, não tem muito o que mudar), o que me deixa ainda com as horas extras não remuneradas, as obrigações....

DELÍCIA das DELÍCIAS....minhas filhas vêem todos os dias a grande capacidade que eu tenho enquanto mulher!!

Realmente não acho fácil ser mulher hoje, nenhum pouquinho. As discussões fervilham a todo momento - nossa roupa, nosso corpo, se somos magras, gordas, cabelos, estupro, aborto, maternidade, casamento, direitos, agressão, etc.... Como diria uma amiga: a gente vive no olho do furacão!!! Somos culpadas pela sociedade, inclusive por nós mesmas de muitas coisas. A gente SE culpa, quando não devia!! Mas, se sou mulher (de hoje), foi porque alguém achou que eu conseguiria suportar essa "missão" e, sendo assim, só digo aos homens que se cuidem, ou se, se descuidarem, um abraço, foi!

A super DELÍCIA de todas: carinho, inteligência, cuidado, praticidade, empatia, força......tenho tudo de bom e de melhor dentro da mesma embalagem!!!


Aos meus queridos pensadores, eu não sou "guerreira", sou mulher!!!....Uma boa noite!!!

domingo, 31 de dezembro de 2017

Todo ano é ano de aprender mais!

E, 2017 foi ano de:

Aprender mais....

Aprender mais que noss@s filh@s são nosso bem mais precioso e, que devemos educá-l@s e prepará-l@s para a vida ensinando todos os dias sobre amor e respeito!

Aprender mais que distância e ausência são muito diferentes entre si, mas podem também ser sinônimos, cabe a nós fazer com que distância não se torne ausência.

Aprender mais que a vida muda, muda muito, muda todo dia, muda demais e que mudanças não são tão ruins como podem parecer.

Aprender mais que a distância pode ser mais dolorida do que se imagina; mas, que superá-la dia-a-dia nos torna mais fortes.

Aprender mais que cuidar da casa, da família e da própria vida só diz respeito a cada um de nós: cada um na sua casa, cada um com sua família e, cada um com sua vida.

Aprender mais que algumas pessoas simplesmente falam demais, enquanto algumas falam de menos e deveriam falar mais!

Aprender mais que a gente não pode falar, tão pouco julgar, o que não sabe e, o que não conhece. Lembrar que pode acontecer com a gente!

Aprender mais que ser pró-ativo cansa bem menos do que ser inativo. Que achar que as coisas vão dar certo é melhor que pensar sempre o contrário.

Aprender mais a aceitar menos determinadas situações, envolvendo determinadas pessoas. Retirar da vida o que não serve faz um bem grandioso à saúde.

Aprender mais que conhecer mais vai sempre ajudar mais a ter uma opinião melhor definida.

Aprender mais que quanto mais respeito tivermos em relação a tudo o que difere da gente, mais aberto e disponível estaremos às mudanças.

Aprender mais que alguns "toques" são úteis, no entanto outros, podemos desconsiderar, afinal tem gente que não olha o próprio umbigo.

Aprender mais que há mudanças que ocorrem para um bem maior e melhor e, que adaptação é para poucos. Ser resiliente é uma tarefa tão difícil quanto empatia - e, como tem gente achando que usando as palavras desenvolve o seu significado (mas, não!).

Aprender mais que perdoar não tem nada a ver com apoiar comportamentos dos quais não concordamos, especialmente entre parentes e amigos muito próximos. Perdoar não é ser conivente, mas trata-se de elevar nossa compaixão e ligar o modo "esqueça disso", para que se possa minimamente viver, talvez não na melhor das harmonias, mas assumindo uma postura de respeito.

Aprender mais a se aceitar mais, pois quanto mais nos aceitamos, especialmente, conhecendo os defeitos, é quando podemos tentar de alguma forma mudar.

Aprender mais e ensinar cada vez mais que, praticar atividade física vale a pena e, que ela traz consigo desafios que cada um pode superar individualmente.

Aprender mais sobre auto-reflexão e auto-avaliação. As pessoas são tendenciosas em ressaltar o pior de nós, mas as vezes nosso maior defeito está extremamente ligado a nossa maior virtude.

Aprender mais e todos os dias sobre a possibilidade grandiosa que é a vida. Sobre a grande oportunidade que é viver. Sobre a grande chance de fazer a diferença....

Desejo a todos os meus amigos e pensadores que, por vezes se dispõem a ler meus textos de pensamentos e reflexões sobre minha vida, tão comum e, tão parecida com a de tanta gente....um belo fim de 2017 e um lindo início de 2018. Que as transformações aconteçam nas vidas de todos nós para a busca e a conquista de um bem maior....a paz!

Juliana e Família



LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...